Eleições: O que os brasileiros sabem sobre política?

        Depois de exercer meu papel eleitoral de cidadã brasileira no último domingo dia 26 de outubro, resolvi parar e ler as manifestações esdrúxulas nas redes sociais e só tenho uma coisa a dizer: LAMENTÁVEL.

A cada dia que passa tenho mais certeza de que nós, seres humanos, nos tornamos mais patéticos e ignorantes. Ao invés de evoluirmos, cultivamos a burrice e ignorância que herdamos dos nossos antepassados das cavernas e ainda com pensamentos individualistas, exigimos dos nossos políticos um país melhor, mas não enxergamos um palmo a frente do nosso nariz e praticamos pequenas corrupções no dia a dia, ou você acha que colar na prova te faz mais inteligente que seu amigo? Ou roubar a internet do vizinho te faz menos rico do que se pagasse com seu suor a mensalidade de uma internet banda larga, entre outras pequenas ações que nós ' sempre damos um jeitinho ' para facilitar nossas vidas - e que se dane a do próximo. " Já que eu estou sendo enganado pelo governo, pago imposto em cima de imposto, o que é comprar um DVD pirata, não é mesmo? " - Pensamento típico de um brasileiro desiludido e passivo, que exerce seu papel eleitoral porque é obrigado, do contrário, abdicaria de seus direitos como cidadão para deixar sua responsabilidade em outras mãos.

Sou brasileira, natural do Rio de Janeiro, filha de um carioca com uma ludovicense* e isso não faz de mim mais ou menos que um nordestino ou sulista, tão pouco me faz ser mais ou menos que qualquer outro carioca. Nos ridicularizamos publicamente contestando a opinião do próximo, julgando, ofendendo, cultivando o ódio de uma luta que não acabou, vocês que votaram e não foram eleitos, persistam no estudo, informem se sobre seu partido político, sobre os ideais de seus candidatos, mas também busquem informações sobre 15, 20 anos atrás e tenham o conhecimento maduro para poder avaliar o candidato ideal para representar o nosso país. 

* Ludovicense: Natural de São Luis do Maranhão - MA.

A ignorância política vem de berço, não temos por cultura padrão estudar política e finanças em nossas escolas, e na minha opinião se faz necessário conhecer um pouco de cada uma. Quem estuda história, deveria estudar a política do país; Quem estuda matemática, deveria estudar finanças e tenho fé de que essas matérias um dia possam ser inseridas nas grades de matérias nas escolas de todo o país, vejo essa mudança a longo prazo nas crianças, que cresceriam e poderiam com autonomia mudar o destino da nação. Tenho orgulho de ser brasileira e mesmo com todas as dificuldades, tenho o dever de honrar a minha pátria e lutar por direitos e deveres, mas infelizmente metade da nossa nação desconhece a Constituição Federal, desconhece os direitos que os tornam cidadãos de voz ativa em um país democrático. Democracia é por direito um benefício do cidadão, podemos igualitariamente eleger nossos representantes, decidir pelo futuro dos nossos governantes e mudar o país, mas nossa cultura político-social é imatura, cultivamos o ódio pela situação do país, pela miséria, pela classificação no ranking de países sub-desenvolvidos, entre outros, mas glorificamos nosso futebol, elegemos palhaços, mulheres frutas, jogadores de futebol, cantores e artistas para nos representar e acabar de vez com qualquer possibilidade de mudança na história política. Infelizmente nosso interesse político dura alguns meses - geralmente no período eleitoral - e após exercemos nossa obrigação de votar, deixamos guardado dentro do armário - uma vez que nossa fé política é desiludida -, e por lá ela fica durante 4 anos.



Nós, jovens, somos os responsáveis pela possível mudança que haverá no futuro, para isso precisamos acordamos o gigante que há dentro de nós e antes de mais nada, acordar nossa vontade de lutar por um país justo e não de economia duvidosa, de planos de governos corruptos, de representantes públicos que nos ridicularizam e que só estão lá para desfrutar de salários altos e benefícios gordos. Precisamos reciclar nossos valores, reavaliar nossas opiniões ignorantes fundamentadas em 3 meses de estudo sobre política, deixar de compactuar apenas da opinião em massa, que contaminam e não nos garantem nada. Pedimos a saída de um partido político do atual governo que transformou um simples esquema eleitoral na arte de roubar, com outras palavras: o mensalão, para inserir um outro tipo de  governo que está mais preocupado em proteger a elite brasileira, do que dar educação e comida aos que precisam, infelizmente o histórico desses partidos compartilham de ideias completamente diferentes, enquanto um briga pela erradicação da pobreza, o outro pensa em conquistar a elite do país a fim de garantir a fortuna individual de seus bolsos - JÁ CHEIOS DE DINHEIRO -, persuadindo jovens burgueses que pouco sabem sobre a vida, sobre votar em um centro-esquerdista que vai dar mais aos ricos do que aos pobres, que tem como lema privatizar as empresas públicas e desviar milhões dos cofres públicos. Precisamos de igualdade social e educação, começar uma nova história política nesse país, estudar política e a pretensão de cada partido político antes de votar em qualquer candidato por ' falta de opção '. Sejam inteligentes, honrem sua pátria e não apenas o futebol, enriqueçam suas vidas de cultura política, se interessem pelo futuro do país e não só pelo final do campeonato brasileiro, amem seu país como amam seus smartphones, dediquem um tempo para ler e pesquisar sobre o histórico de seus candidatos, na mesma proporção que gastam seu precioso tempo em redes sociais se esbaldando de cultura inútil, idolatrem seu país na mesma proporção que idolatram os ícones da música pop americana e deixem de ser burgueses e falsos burgueses, porque caixão não tem gaveta, a vida é hoje mas seus filhos estarão aqui amanhã, não sejam egoístas ao pensar no bem próprio e que se dane o resto, não se chega a lugar nenhum assim. No fim, a gaveta do pobre e do rico será a mesma.

Enfim, somos nós os responsáveis pela atual situação do país, nada será feito diante de tanto voto desperdiçado em candidatos que nada farão pelo progresso do Brasil e por isso precisamos consertar o erro que persiste há anos na política. Precisamos ir as ruas com manifestações inteligentes, concisas e fazer com que a voz do povo seja ouvida, que tenhamos mais respeito pelo próximo; seja pobre, rico, sulista ou nordestino, e que mais uma vez tenhamos amor ao nosso país e deixemos as comparações para depois, porque o erro precisa ser consertado e com preconceito só cultivaremos a discórdia, o ódio e a guerra. 


Ame o Brasil e lute por ele até o fim!









Nenhum comentário: