É possível viajar de graça?

Será que é possível viajar sem pagar nenhum centavo? Eu diria que sim.

Há diversos meios que nos levam até onde queremos, e isso cabe para tudo na vida, viajar é a mesma coisa - exceto passar por cima de alguém e do próprio carater, isso eu nem preciso falar, né? Quando pensamos em viajar, nós nos programamos meses antes do "evento", certo? Negociamos férias no trabalho, ajustamos a vida financeira para caber dentro do nosso sonho, ajustamos uns detalhes aqui e ali e finalmente viajamos. É óbvio que nessa ordem que exemplifiquei, pulei detalhes importantes para uma viagem segura e sem dor de cabeça, mas vejamos, para se viajar de graça é preciso saber definir o perfil em que você certamente se encaixa: Despreocupado, Aventureiro ou Confortável, cabe dentro de cada um desses perfis algumas características que definem cada viajante, por exemplo: O viajante Despreocupado não se importa como irá chegar no destino e como será a estadia, se vai precisar trabalhar a troco de hospedagem ou se a viagem começará com um pedido de carona no meio da BR. O Aventureiro é mais cauteloso em relação ao destino, ao que irá comer, onde irá se hospedar e principalmente, tem seu orçamento programado para alguns mimos durante a viagem, mas é disposto a explorar cada ponto turístico e se aventurar a troco de experiências e histórias para contar, já o viajante Confortável, esse só viaja se souber onde irá dormir, sair, conhecer e quanto irá gastar em cada atividade, chamaria esse perfil de viajante conservador. 



Para viajar de graça é preciso primeiramente não se preocupar com o que irá encontrar por aí, mas como já dizia Jeff Bulas "Menos é mais. Ser simples requer tempo e esforço", então não se engane achando que programar viagens de graça será um desafio fácil, acredite, esse feito exige muito mais planejamento prévio do que realmente parece.


O primeiro passo é saber eleger as prioridades, viajar de graça por vias aéreas é quase uma lenda, mas é possível. A arte de viajar não se limita a passaporte, passagens aéreas e outros países, é possível viajar entre cidades e explorar lugares fantásticos próximo a sua cidade atual. Exemplos como o estado de São Paulo, possui diversas opções culturais e cidades cujo a cultura local é riquíssima, isso se estende para todos os outros estados do Brasil, que é rico culturalmente e possui lugares paradisíacos. O Brasil, embora pouco explorado por nós brasileiros, é uma grande fonte de inspiração para viajantes que estão começando a dar seus primeiros passos pelo fantástico mundo dos viajantes exploradores.

Mas voltando ao que interessa, viajar de graça é possível e exige cautela no planejamento, abaixo listei algumas dicas e links que podem ajudar a elaborar um plano de viagem onde o custo X benefício poderá ser um grande encorajador de futuros viajantes exploradores:

- Milhas e Pontos de Fidelidade: Para quem usa cartão de crédito, se cadastrar em programas de milhagem e fidelidade de companhias aéreas ou mesmo através do próprio uso do cartão é um benefício seu, saiba aproveitar! Eu recomendo o curso "Turbine suas milhas aéreas 3.0" que eu fiz e que me proporcionou uma visão ampla e técnicas para acumular muitas milhas - (Link na imagem abaixo)



- ID Jovem: Com a iniciativa do governo, jovens brasileiros entre 15 e 29 anos com renda até 2 salários mínimos, se beneficiam de uma lei que obriga que ônibus interestaduais tenham dois lugares reservados para que possam viajar de graça. (Mas caso os assentos já estejam ocupados, outros 2 lugares devem ser disponibilizados com 50% de desconto). A lei cabe para viagens interestaduais e a reserva deve ser feita com pelo menos 3 horas de antecedencia.

- Aviões da FAB - Força Aérea Brasileira: Não precisa ser autoridade, tão pouco militar para poder embarcar em um voo nacional. Diariamente vários aviões da FAB viajam pelo território brasileiro com assentos vagos que podem ser usados por todos os cidadãos brasileiros, para isso é preciso encontrar o Correio Aéreo Nacional (CAN) mais próximo de sua residência ou de onde você deseja embarcar e solicitar a inscrição para voos da FAB: Veja aqui 

- Carona Solidária: Existe diversos apps disponíveis e gratuitos que te ajudam a encontrar uma carona pelo Brasil e mundo, basta buscar por app de caronas e lá estarão algumas opções, o melhor recomendado é o BlaBlaCar. Basta se cadastrar e encontrar um voluntário. (Alguns são solidários, outros cobram um valor simbólico pela viagem).

- Worldpackers: É uma rede que promove o contato entre o viajante e o hospedeiro local, a rede é uma oportunidade para se trocar habilidades por hospedagem, em suma, é trabalhar algumas horas do dia a troco de hospedagem. Alguns hospedeiros além da hospedagem, fornecem alimentação e boas histórias locais.


Há diversas oportunidades por aí, é possível realizar uma busca pela internet de locais para se hospedar e enviar um email para os lugares se apresentando e explicando sua aventura, em contrapartida (e para alguns casos), é necessário que haja uma permuta e seja bom para ambos, ou seja, se você tiver uma rede de contatos grande, midias sociais com muitos acessos e seguidores, canais de comunicação que possam servir de publicidade para o parceiro, é um grande recurso para se oferecer a troco de hospedagem. É certo que este tipo de busca é como um grande funil de vendas, logo é preciso enviar uma grande quantidade de emails e rezar para que desse funil saia alguma alma caridosa. Entre muitas "permutas", é possível se oferecer para ajudar com alguma atividade no local também. Em alta temporada há diversos hotéis, hostels e comércios locais que contratam para trabalho temporário, nessa você descola um lugar para dormir e de quebra ainda ganha uns trocados. (Certamente alguns ex-intercambistas irão se familiarizar com esse parágrafo, uni-vos).

Já sobre a alimentação gratuita, no Brasil ainda não encontrei um sistema de comer de graça, exceto se você for na feira e sugerir experimentar as frutas (e há um grande risco de você ser cobrado), em outros países há vouchers, tickets e até cupons disponíveis em lojas de departamento, restaurantes, livrarias e etcs, que podem até aliviar a fome momentaneamente. No Brasil se paga caro para comer, e no caso dos viajantes exploradores, é bom ter uma reserva de dinheiro para usar com alimentação e saber usá-la com moderação, sem exageros e luxos, só para o essencial. 

Gustavo Junqueira, do blog Vagamundagem, diz uma frase que serve de combustível para quem ainda precisa quebrar as barreiras e desafiar os próprios limites atrás dos sonhos, não importa qual seja:

"Enquanto acharmos que o suporte para conhecer o mundo ou para seguir nossos sonhos tem que vir na forma de dinheiro, dificilmente saímos do nosso quadrado."



Até breve.

Nenhum comentário: